29 de nov de 2011

9º grito

Não subestime minha capacidade, pois eu posso transformar o tempo...
Eu perpetuo o dia cinza que nublou o meu espelho, e hoje, enxergo fragmentos de alguém que um dia conheci... Minha retina cansada arde, e frustrada nas entrelinhas insanas dos poucos versos, insisto...
Vou reinventando o horizonte para camuflar páginas em branco que jamais serão escritas. Faz tanto tempo que já nem lembro mais de mim...
Eu entendi que o caminho é circular, mas continuo correndo em busca de arestas que ouço cantarem por aí... Sonho sonhos que não vou viver e choro lágrimas que são donas de mim... 

O fim é o começo e o começo é sempre o fim... abandonada à própria sombra, eu sigo só.

g.köhler

26 de nov de 2011

Ana Jácomo

"Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. É me sentir confortável, mesmo convivendo com tantas perguntas que o tempo não respondeu e com a ausência de qualquer garantia de que ele ainda responda. É me sentir confortável, mesmo entendendo que as respostas que tenho mudarão, como tantas já mudaram, e que também mudarei, como eu tanto já mudei.”


8º grito

Eu quero um olhar profundo que me desalinhe a coluna cervical, quero um beijo úmido que me roube o chão, quero promessas de amor eterno com direito a trilha sonora, quero sexo intenso e despudorado com cheiro de amor e gosto de pecado...
Eu quero ser mimada, coberta presentes e agrados... quero grandes viagens, roupas caras, boa comida, boa bebida, sedução...
Eu quero uma cama de rosas, um tapete vermelho, um castelo de rainha, uma carruagem imponente, sapatos de cristal, um diamante no dedo e um véu longo...
Quero ser a criança paparicada, a mulher amada, a amante desejada e a dona das tuas noites e teus dias...
Eu quero que me leve pela mão com orgulho, que me proteja com uma jóia rara, que me exiba aos amigos e que encha a boca pra dizer: "Essa é a minha mulher"...
Eu quero respeito, cuidado, carinho e cumplicidade mas exijo luxuria, loucura, doença e devoção, diga que sou sua e que você é meu...
Eu quero alguém que viva para mim e por mim, que não deixe ninguém me humilhar, que me ouça com atenção e respeite minha opinião...
Eu quero ser o pensamento que te acorda e te faz dormir, quero ser a força que te motiva, quero ser mais que a primeira, quero ser a única, a certeza, ser causa e a consequência, quero amor e idolatria...
 
Eu só quero ser feliz...

g.köhler

25 de nov de 2011

Chico Xavier

"Havia um homem que costumava ter em cima de sua cama uma placa escrita: ISSO TAMBÉM PASSA...então perguntaram à ele o por quê disso... ele disse que era para se lembrar que, quando estivesse passando por momentos ruins, poder se lembrar de que eles iriam embora, e que ele teria que passar por aquilo por algum motivo. Mas essa placa também era pra lembrá-lo que quando estivesse muito feliz, que não deixasse tudo pra trás, porque esses momentos também iriam passar e momentos difíceis viriam de novo...E é exatamente disso que a vida é feita: MOMENTOS!
Momentos os quais temos que passar, sendo bons ou não, pro nosso próprio aprendizado. Por algum motivo... Nunca esqueça do mais importante:
NADA É POR ACASO ! Absolutamente nada. Por isso temos que nos preocupar em fazer a nossa parte da melhor forma possível."

24 de nov de 2011

7º grito

Soluções imediatas requerem medidas extremas, não é assim que se diz? Abusei da liberdade, apelei para a pressão mas a inércia continua. 
Não, não! Não quero conformidade, quero ser contrariada, desafiada... Quero ser acusada pelo erro premeditado, preciso do confronto...
Onde foi parar a sintonia? Quando foi que nos perdemos? Quando foi que desbotei?
Não vejo as medidas com clareza mas, posso garantir que foi o suficiente para marejar os olhos... cheguei a acreditar que era feita de sal e açucar como todos os outros, e no fim, só confirmei a sonoridade do NUNCA e o gosto amargo da certeza que eu vivo contestando.
Embora eu queira muito viver o sonho cor-de-rosa, sei que nunca vou sair da vitrine, no máximo terei breves instantes de atenção, mas triste mesmo é saber que simplesmente não há resposta, caminho ou solução. É só desperdicio de energia, talvez eu deva mesmo apagar a luz. Me ajuda?

g.köhler

17 de nov de 2011

6º grito

Tá difícil respirar sabe...
As vezes tomamos decisões nada razoáveis na esperança de que a solução apareça. Me sinto pequena ao ver que todo o meu esforço foi em vão. Você simplesmente não foi capaz...
Ainda ouço com perfeição, mas aquela música em particular não toca mais... perdeu-se em algum lugar coagida pelo orgulho. E eu continuo aqui, pronta pra cantar! Que patética...
Será que fui tão superficial pra você? Não consegui mesmo te tocar??
Nossa... Eu achei que tivesse endurecido com as tantas tentativas frustradas mas... vejo que a dor não enrijece ninguém, ao contrário, só te deixa mais vulnerável às lágrimas. A diferença é que com o tempo você passa a chorar por dentro, e eu tenho chorado muito... Não sei mais extravasar sentimentos e esse tipo de lamúrio silencioso me consome... me tira a fome, me rouba a alegria... a paciência... a saúde...
Não consigo entender como é ser alguém pela metade porque meias medidas e meias verdades não me atraem... talvez por isso me sinta tão pesada ultimamente. Cheguei ao meu limite. Eu nem sirvo mais em mim...

g.köhler

8 de nov de 2011

Sarah Westphal Batista da Silva

 Quase...
Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase. É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.
Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos “Bom dia”, quase que sussurrados.
Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.
Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.
O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si. Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém,preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.
Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.
Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

6 de nov de 2011

Caio Fernando Abreu



“Lá está ela, mais uma vez. Não sei, não vou saber, não dá pra entender como ela não se cansa disso. Sabe que tudo acontece como um jogo, se é de azar ou de sorte, não dá pra prever. Ou melhor, até se pode prever, mas ela dispensa.
Acredito que essa moça, no fundo gosta dessas coisas. De se apaixonar, de se jogar num rio onde ela não sabe se consegue nadar. Ela não desiste e leva bóias. E se ela se afogar, se recupera.
Estranho e que ela já apanhou demais da vida. Essa moça tem relacionamentos estranhos, acho que ela está condicionada a ser uma pessoa substituta. E quem não é?
A gente sempre acha que é especial na vida de alguém, mas o que te garante que você não está somente servindo pra tapar buracos, servindo de curativo pras feridas antigas?
A moça…ela muito amou, ama, amará, e muito se machuca também. Porque amar também é isso, não? Dar o seu melhor pra curar outra pessoa de todos os golpes, até que ela fique bem e te deixe pra trás, fraco e sangrando. Daí você espera por alguém que venha te curar.
Às vezes esse alguém aparece, outras vezes, não. E pra ela? Por quem ela espera?
E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará.
A moça – que não era Capitu, mas também têm olhos de ressaca – levanta e segue em frente.
Não por ser forte, e sim pelo contrário… Por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda. Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros, vieram ao mundo.”

.....

"Passou pela minha cabeça voltar, mas o vento balançou os meus cabelos e mostrou que o caminho é para frente, reto e sem curvas."

.....

"Eu comecei minha faxina. Tudo o que não serve mais (sentimentos, momentos, pessoas eu coloquei dentro de uma caixa. E joguei fora. (Sem apego. Sem melancolia. Sem saudade). A ordem é desocupar lugares. Filtrar emoções."

 

5 de nov de 2011

5º grito

E não me venha com discursos otimistas, você não será o primeiro e nem o último dos salvadores que acha que o sucesso é uma fórmula universalmente aplicável. A força que mora em ti não é minha inquilina, nem quis me visitar... Se quer saber? Não adianta mostrar o caminho, se quer realmente ajudar, ande junto comigo... Vá mais longe... tire o peixinho do aquário, dê asas para que ele vôe.



g.köhler

4 de nov de 2011

talvez

Talvez ainda me assombre com o medo, padecendo em meio a dúvida, carecendo de verdades, mas inundando nas mentiras. Você é o mesmo que conheci? Talvez nem você se reconheça.
A falta de afeto transbordou pelos seus olhos, não são apenas lágrimas, é seu único alívio, adormeça.
Em meio a dúvida tenha apenas uma certeza: não queira continuar assim, mesmo com o coração dilacerado você ama o suficiente para se recompor. Sem mais nada pra perder escorando-se na esperança. 


4º grito


EU paro para pensar e tudo que vejo são interrogações distorcidas numa paisagem desbotada da realidade...
EU só queria uma resposta objetiva que me arrancasse do peito essa camisa de força...
EU não vejo razão alguma nas coisas que faço, nas coisas que penso ou nas coisas que sinto...
Então... Onde está o meu amor? Onde está minha esperança? Onde está minha razão de viver???


EU é o meu nome...
E vc... neste momento... como se chama?

g.köhler

3º grito

Aprendi que as pessoas são verdadeiras no ímpeto de suas emoções, mas emoções são passageiras e por isso somos todos grandes mentirosos...

g.köhler


3 de nov de 2011

2º grito

Hoje eu não tenho nome. Hoje e por tantos outros momentos me tornei invisível, imperceptível... Passou através de mim como a luz atravessa o vidro.
Irreconhecível? Expectativas mentirosas, eu entendo... Mas elas não são minhas.
Inflexível? Pois bem, escolhi ser livre, pus abaixo o meu muro. Mas um outro cresce diante de mim tijolo por tijolo... Ele também não me pertence.
Insensível? É verdade, eu mesma escolhi o anestésico suave que envenenou meu coração... mas ele ainda pulsa e não é por mim.
Ainda lembro dos poucos viços, dos poucos gestos... Do tempo em que foi completo, do tempo em que eu fiz sentido... do pouco tempo.
Me resta ficar atenta aos sinais e descobrir a nota exata que faça este silêncio soar tão, mas tão alto, que eu não precise gritar a verdade.
Não é necessário reagir, revidar, nem enfurecer... É só prostrar-se em si e ouvir com atenção. Em si estão todas as respostas... em si...

g.köhler
 

1º grito

Quando o tempo é só uma medida de intensidade e a angustia se transforma em condição, você entende que sonhar nos mantém vivos na realidade, mas é a realidade que anestesia a mente sã. Não quero mais sonhar em ser aquele alguém que eu deveria ser e não sou... não quero mais desejar tudo que eu poderia ter e não tenho... Quero apenas substituir a linha do tempo por uma simples reticência entre o primeiro e o último segundo e saltar direto para o fim, fazer cessar... 






g.köhler